SLIDER
13/11/2017 às 11:49:49

DIC DE ITAJAÍ DESVENDA APROPRIAÇÃO DE CARGA DE BOBINAS DE AÇO

Produtos eram avaliados em aproximadamente R$ 300 mil

1

A DIC de Itajaí indiciou o motorista CLEMERSON NUNES em inquérito policial que apurou a apropriação indébita de 27 toneladas de bobinas de aço avaliadas em R$ 258.170.62.

Entenda o caso:

Em 27/04/2017, CLEMERSON foi agenciado através de um site de fretes para transportar a carga de Itajaí a Bento Gonçalves/RS. O transporte seria realizado com os veículos registrados no nome do próprio motorista (caminhão trator Volvo NL10 placas JTR1420 e SR placa DAR1499).
Em 28 de abril Clemerson registrou boletim de ocorrência na cidade de Bom Retiro informando ter sido vítima de roubo na rodovia BR282 próximo de Rancho Queimado. Afirmou no registro policial que “uma caminhonete de cor preta atravessou na frente do caminhão e três indivíduos encapuzados e armados com pistolas o renderam e mandaram ficar no assoalho. Posteriormente a vítima foi abandonada com o veículo próximo a cidade de Alfredo Wagner/SC na BR 282, sem a carga”.
 
Ocorre que após investigações dessa unidade restou comprovado que a versão de CLEMERSON não correspondia com a realidade. Revelou-se que o caminhão tomou sentido contrário ao do trajeto original do frete contratado e que todos os demais dados informados pelo motorista eram falsos.
A DIC ainda apreendeu o SR utilizado para o transporte das bobinas de aço porque estava adulterado.
O motorista se recusou a colaborar com as investigações quando oportunizada a possibilidade de apontar o local de armazenamento da carga subtraída. Mesmo com todas as diligências realizadas pela DIC, a carga não foi recuperada.
Agora, CLEMERSON é réu em ação penal pela prática de apropriação indébita, adulteração de sinal identificador de veículo automotor e falsa comunicação de crime. Embora tenha sido indeferida a prisão preventiva representada pela Polícia Judiciária, CLEMERSON é monitorado através de tornozeleira eletrônica.
A DIC destaca, em virtude da complexidade de investigações de crimes relacionados ao transporte de cargas, algumas atitudes que auxiliam a Polícia Civil e que podem ser adotadas pelas empresas:
1 – Em regra, a atribuição para investigar os crimes é da Delegacia da comarca em que o crime ocorreu. No entanto, o boletim de ocorrência pode ser registrado em qualquer Delegacia. Assim, em caso de registro em cidade/estado diverso da ocorrência do delito, é fundamental o imediato contato com a unidade policial que deverá apurar os fatos para a pronta ciência e adoção das providências necessárias. A demora no trâmite de envio de registros policiais entre as delegacias poderá gerar prejuízos irremediáveis à investigação. Em SC, as DICs são as responsáveis para apurar, dentre outros, os delitos envolvendo cargas;
2 – Os registros policiais de furto/roubo devem conter em campo próprio – especificados como bens furtados/roubados – os veículos subtraídos para que gerem restrição de circulação e histórico em dossiê do Detran. Mesmo que imediatamente recuperados, os veículos deverão constar em campo específico do BO como furtados/roubados. Somente com essa providência será possível a inserção de histórico de furtos/roubos no Detran. O histórico de ocorrências no dossiê do veículo em muito auxilia as empresas de transportes e de seguro na contratação, bem como a Polícia Civil nas investigações. Atualmente, o aplicativo do SINESP e a consulta no site do Detran (através do RENAVAM) permitem, respectivamente, a consulta de restrição de circulação e de histórico de furtos/roubos.
A DIC de Itajaí reafirma a possibilidade de denúncias anônimas sobre crimes que envolvam o transporte de cargas em Itajaí serem realizadas através do telefone 47 33986276 ou 181, e-mail itajai.dic@gmail.com e também na Rua José Pereira Liberato, 1982, São João Itajaí.

Comentários